Vá de Táxi

O corredor/faixa de ônibus pode otimizar o seu dia

13 March de 2019 - 12:30 - by Vá de Táxi

O corredor de ônibus, ou faixa de ônibus como também é conhecido, é uma ação de mobilidade urbana bastante útil em grandes centros. Ele dá exclusividade ao transporte público e também a alguns outros tipos de usuários, em horários determinados. Se você vive em uma metrópole como São Paulo, por exemplo, sabe o quanto é importante esse tipo de iniciativa do poder público. Mas, será que você sabe tudo o que é possível fazer na faixa de ônibus? Continue lendo este artigo para descobrir que não é só os coletivos que podem trafegar ali — e que benefícios você, usuário do tráfego urbano, pode obter com ele!


Afinal, o que é o corredor de ônibus


Por definição, o corredor de ônibus é uma via, exclusiva ou não, dedicada à circulação de transportes públicos rodoviários, integrada em rodovia normal, geralmente urbana. É uma via restrita a transportes coletivos, por vezes em determinados dias e horários, e geralmente usada para acelerar o transporte público que, de outra maneira, seria retido pelos congestionamentos veiculares. Também conhecido como “vias bus”, o corredor de ônibus é um componente essencial de uma rede de ônibus de trânsito rápido (BTR) de alta qualidade. Nas cidades onde é implementado, ele costuma melhorar a velocidade e a resiliência das viagens de ônibus ao reduzir o atraso causado nas vias urbanas.


A história do corredor de ônibus


Apesar de não parecer, data dos anos 1940 os primeiros corredores de ônibus instalados em grandes cidades. A ideia surgiu da prefeitura de Chicago, nos Estados Unidos. A partir dos anos 1960, algumas metrópoles europeias também aderiram à iniciativa. É o caso das pioneiras Hamburgo, na Alemanha (1963), e de Paris, no ano seguinte.No Brasil, a iniciativa se consolidou a partir da primeira década dos anos 2000, primeiro em Curitiba/PR — metrópole referência em transporte público e mobilidade urbana em todo o mundo — e, em seguida, em São Paulo, no Rio de janeiro, outras capitais, chegando até em municípios de médio porte.

A faixa de ônibus e os táxis em São Paulo e em outras cidades


Um dos diferenciais de São Paulo é a permissão para que os taxistas também trafeguem pelo corredor de ônibus. Nem todas as cidades onde há a faixa exclusiva isso é permitido. Entre as capitais, de acordo com o IDEC - Instituto de Defesa do Consumidor, Curitiba, Porto Alegre, Belém e Salvador proíbem o compartilhamento das vias exclusivas para ônibus com outros veículos. O uso da faixa de ônibus é uma mão na roda para os usuários de táxi, especialmente os profissionais que usam esse serviço para se deslocar para o trabalho ou para visitar clientes e realizar negócios. Mas, atenção: somente os taxistas têm essa “mordomia”. Profissionais que utilizam seus próprios veículos para realizar transportes de pessoas que os chamam por meio de aplicativos não podem fazer uso da faixa de ônibus.

O corredor de ônibus, o táxi e os impactos no cotidiano de profissionais e empresas


Em suma, o corredor de ônibus pode otimizar o dia a dia dos profissionais, seja usando o transporte público, seja chamando um táxi. E isso pode impactar positivamente também na operação das empresas, uma vez que há menos chances de ter funcionários presos em engarrafamentos; além, é claro, da possibilidade de atender a clientes e visitar fornecedores e parceiros de negócios sem percalços com o trânsito caótico da metrópole. Para imaginarmos melhor o impacto positivo desta iniciativa, basta olharmos para a estimativa da Quanta Consultoria: por ano, o Brasil perde mais de 265 bilhões de reais em congestionamentos! Imagine o quanto empresários, executivos, profissionais de todos os níveis da hierarquia podem economizar de tempo e dinheiro ao optar pelo transporte público ou pelo táxi para se deslocar em horário de trabalho! Você já utiliza o corredor de ônibus no seu dia a dia? Já havia refletido sobre essa iniciativa de mobilidade urbana? Deixe seu comentário!